Arcebispo rebate críticas de Lula sobre excomunhão em PE

Religioso que excomungou médicos por aborto em menina vítima de estupro diz que Lula precisa de 'teólogo'

Efe,

07 de março de 2009 | 16h50

O arcebispo de Olinda e Recife, d. José Cardoso Sobrinho rebateu as críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste sábado, 7, que lamentou a atitude do religioso de excomungar os médicos que fizeram o aborto em uma menina de 9 anos vítima e estupro em Pernambuco. O arcebispo sugeriu que Lula consulte um "teólogo" antes de defender os excomungados.  Veja também:CNBB pede punição e condena aborto Médicos agiram dentro da lei em caso de aborto, diz SecretariaJornais do mundo falam sobre caso de excomunhão e abortoLula critica excomunhão de médicos por aborto em menina Igreja excomunga envolvidos em aborto de menina estuprada Equipe médica excomungada diz que não está arrependida Entenda o que dizem o Direito Canônico e o Código Penal  Opine: qual ética o médico deve seguir nestes casos? "O presidente deve buscar a assessoria de algum teólogo para falar com mais propriedade sobre o tema", disse d. José Cardoso Sobrinho durante missa na capital pernambucana. O arcebispo, que não excomungou o estuprador, recebeu o apoio do Vaticano e também da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em nota, a CNBB pediu a punição do criminoso.  A menina estava grávida de gêmeos e, de acordo com médicos, se a gravidez fosse levada a diante, ela correria risco de vida. Na terça à noite, a menina foi internada e recebeu medicamentos para interromper a gravidez. Ao justificar sua decisão, dom José Cardoso Sobrinho disse que, aos olhos da Igreja, o aborto é crime e que a lei dos homens não está acima das leis de Deus.

Tudo o que sabemos sobre:
CNBBarcebispoabortoestuproPernambuco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.