Área para cultivo de transgênicos cresce 15% no mundo

A área global de cultivo de transgênicos - Organismos Geneticamente Modificados (OGMs) - cresceu 15% em 2003 e a perspectiva é de que continue a escalada nos próximos anos. O presidente do Conselho Diretor do Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações na Agrobiotecnologia (da sigla em inglês ISAAA), Clive James, projeta que a área cultivada em todo o mundo chegará a 100 milhões de hectares, envolvendo 10 milhões de agricultores em 25 países.James, em palestra na Fundação Getúlio Vargas(FGV-SP), nesta segunda-feira, disse que "haverá um aumento expressivo na quantidade global eno número de pequenos agricultores de países em desenvolvimento cultivando plantas geneticamente modificadas". Da área global estimada em 2003, de 67,7 milhões de hectares, 6 milhões de hectares ficaram por conta da China, que planta basicamente o algodão Bt (Bacilus Thuringiensis), resistente a insetos e que diminui em 50% a necessidade de uso de inseticidas.O método utilizado na China foi apontado por James como modelo que pode ser seguido pelo Brasil. Lá, o cultivo de algodão é feito com sementes da multinacional norte-americanaMonsanto e outras variedades desenvolvidas pela Academia de Ciências de Agricultura da China, entidade estatal semelhante à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), quepoderia adotar modelo semelhante. A China deverá investir US$ 500 milhões neste ano, e o mesmo valor em 2005, em pesquisa de transgênicos.

Agencia Estado,

20 de julho de 2004 | 03h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.