Argentina, Holanda, Suécia, Portugal, Espanha e Canadá já aceitam a união homossexual

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou na quinta-feira pelo reconhecimento da união estável para casais do mesmo sexo. O resultado oficial, no entanto, pode ser alterado até o fim do julgamento.

REUTERS

05 Maio 2011 | 18h18

Seis dos 11 ministros da Corte votaram a favor, incluindo o relator Carlos Ayres Britto. O ministro Antonio Dias Toffoli se declarou impedido de votar porque atuou em uma das ações julgadas quando foi advogado-geral da União.

O que está em discussão no Brasil é o reconhecimento da união estável entre homossexuais, e não o casamento, como já ocorreu em outros países.

Em julho de 2010, a Argentina se tornou a primeira nação latino-americana a autorizar homossexuais a se casarem e adotarem filhos, desafiando a oposição católica para engrossar as fileiras dos poucos países, em sua maioria europeus, que já contam com leis semelhantes.

Apenas alguns poucos países autorizam o casamento de pessoas do mesmo sexo, entre eles Holanda, Suécia, Portugal, Espanha e Canadá. Nos Estados Unidos, os homossexuais podem se casar apenas em cinco Estados e na capital Washington.

Em dezembro, uma lei aprovada pelos legisladores da Cidade do México concedeu aos homossexuais da cidade os mesmos direitos de casamento e adoção de filhos que os heterossexuais. O Uruguai autoriza casais homossexuais a adotar filhos, mas não a se casar.

(Por Bruno Marfinati)

Mais conteúdo sobre:
STF HOMOAFETIVA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.