Argentina proíbe lâmpadas incandescentes a partir de 2011

Lei faz parte do Programa de Uso Racional da Energia Elétrica elaborado para reduzir o consumo

Efe,

21 de janeiro de 2009 | 17h23

A Argentina proibirá a partir de 2011 importar e comercializar lâmpadas incandescentes a fim de economizar energia, conforme estabelece uma lei federal que entrou em vigor nesta quarta-feira, 21, a partir de sua publicação no Diário Oficial. Veja também:Especial: Quiz: você tem uma vida sustentável?  Especial: Evolução das emissões de carbono    A lei, apresentada pelo Governo Federal aprovada no mês passado pelo Parlamento, faz parte do Programa de Uso Racional da Energia Elétrica, elaborado pelas autoridades para reduzir o consumo. No final de 2007, o Executivo convocou os argentinos a substituir voluntariamente em suas casas as lâmpadas incandescentes por outras de baixo consumo, das quais entregou 25 milhões de unidades gratuitamente. A lei aprovada no mês passado estabelece que o Governo poderá ditar medidas para facilitar a importação de lâmpadas de baixo consumo, seus componentes ou o equipamento necessário para sua produção, reduzindo ou liberando encargos e tributos.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalenergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.