Argentina propõe clube de credores ambientais

O ministro da Saúde e do Meio Ambiente da Argentina, Ginés González García, propôs a formação de um clube de países credores ambientais, que coordenaria as negociações entre as nações em desenvolvimento e as industrializadas na troca de dívidas financeiras por dívidas ambientais.Segundo García, que presidiu a cerimônia do Protocolo de Kyoto, na quarta-feira, os países mais endividados são também os "maiores credores ambientais do planeta, constituem uma verdadeira reserva ambiental e não recebem nenhuma compensação de seus devedores ambientais". O representante argentino garantiu que sua idéia não causou "reações adversas" nos meios diplomáticos, e até teria sido recebida com simpatia, segundo a agência Efe.O Protocolo de Kyoto, agora em vigor, cria um mercado de créditos ambientais e prevê que países desenvolvidos paguem aos países em desenvolvimento por projetos de preservação ambiental e geração de energia renovável, como compensação por suas emissões de gases poluentes."Nosso país, do qual tanto se exige em matéria financeira, deveria receber igual atenção em matéria ambiental. Não apenas poderiam nos ajudar a reflorestar como também a preservar as matas nativas e as riquezas naturais da Argentina", disse o ministro.  mudanças climáticas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.