Armazenamento de CO2 pode reduzir poluição em 40%

O armazenamento de dióxido de carbono (C02) - principal responsável pelo aquecimento global - a grandes profundidades poderia impedir que "entre 20 e 40% das emissões mundiais de C02 até 2050" fossem liberadas na atmosfera, revelou um relatório publicado em Montreal por cientistas da ONU. A captura e a estocagem de CO2 poderiam contribuir "em grande parte para limitar as mudanças climáticas", destacaram os autores do informe. "Até 2050 de 20% a 40% das emissões globais de CO2 provenientes de combustíveis fósseis poderiam ser tecnicamente adaptados para o armazenamento, inclusive entre 30% a 60% resultantes da geração de eletricidade e de 30% a 40% das emissões industriais de CO2", informou o Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC). Até 2100, entre 220 bilhões e 2,2 trilhões de toneladas de CO2 poderiam ser estocados na crosta terrestre, abrangendo de 15% a 55% da poluição mundial até o fim do século. O CO2 é o principal dos gases causadores de efeito estufa, que impedem que o calor solar retorne ao espaço e fazem com que a temperatura do planeta aumente. A poluição resulta da queima de combustíveis fósseis, tais como petróleo, gasolina e carvão. Detê-la requer investimentos na eficiência dos combustíveis e em fontes mais limpas de energia: um preço que muitos países, a começar pelos Estados Unidos, acham assustadoramente alto. A armazenagem de carbono, portanto, está sendo explorada como uma forma de conter parte da poluição, ao mesmo tempo em que reduz custos. Desta forma, o CO2 poderia ser capturado na fonte em estações elétricas, refinarias, vidrarias, fábricas de cimento e outros grandes emissores deste gás.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

27 de setembro de 2005 | 19h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.