Arqueólogo encontra fragmentos de pergaminho bíblico

Um encontro secreto com um ladrão beduíno num vale no deserto levou à descoberta de dois fragmentos de um pergaminho escrito há quase dois mil anos, a primeira descoberta nessa categoria em décadas, revelou nesta sexta-feira o arqueólogo israelense Chanan Eshel. A descoberta - realizada no ano passado, mas revelada somente hoje - alimenta agora esperanças de que o Deserto da Judéia possa conter outros tesouros arqueológicos similares, disse Eshel, arqueólogo da Universidade Bar Ilan, em Tel-Aviv.Os dois fragmentos do pergaminho, com inscrições em hebraico de versos do Levítico (um dos livros da Bíblia), foram encontrados nas cavernas de Nachal Arugot, um cânion situado nos arredores do Mar Morto, onde os judeus esconderam-se dos romanos durante o século 2º depois de Cristo, revelou Eshel numa entrevista à Associated Press. "Nenhum pergaminho era encontrado no Deserto da Judéia desde 1965. A crença generalizada era de que não existia mais nada ali", salientou o autor da descoberta.Entre 1947 e 1956, mais de mil textos antigos foram encontrados em 11 cavernas na mesma região. Os escritos ficaram mundialmente conhecidos como "Pergaminhos do Mar Morto". Agora, os fragmentos estão sendo analisados pela Autoridade de Antigüidades de Israel. Recentemente, diversas supostas relíquias foram catalogadas como falsificações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.