Arqueólogos descobrem consumo de leite há 8.000 anos

Gado foi domesticado há 9 mil anos, mas só há evidências do uso do leite cerca de mil anos depois

Efe

06 de agosto de 2008 | 14h37

O ser humano já processava e armazenava leite há mais de oito mil anos, segundo demonstrou uma equipe de pesquisa da Universidade de Bristol, no Reino Unido, após encontrar ácidos graxos e outros resíduos orgânicos em vasilhas de cerâmica da época.  Esses resultados, publicados nesta quarta-feira, 6, na revista científica britânica Nature, ampliam em mais de dois mil anos a época em que o homem começou a tirar leite das vacas, ovelhas e cabras, que até agora estava fixada no quinto milênio a. C.  Os cientistas chegaram a essa conclusão após analisar mais de 2.200 vasilhas de cerâmica de sítios arqueológicos do Oriente Próximo e dos Bálcãs, nas quais encontraram ácidos graxos e nata vindos do leite. Além disso, explicaram os pesquisadores, a análise desses restos arqueológicos no solo data do começo do uso do leite no sétimo milênio a. C., e demonstra que sua produção era especialmente importante em áreas onde havia gado bovino, como no norte da Turquia.  No entanto, nas regiões onde cabras e ovelhas eram o gado mais abundante, o consumo de leite não era tão crucial para a comunidade.  A domesticação de cabras e ovelhas em criações familiares passou a ser comum a partir do oitavo milênio, mas há evidências do consumo de leite apenas mil anos depois.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaarqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.