Arqueólogos descobrem novo trecho da 'avenida das Esfinges'

Avenida foi mencionada em manuscritos do período greco-romano e foi encontrada a 20 km de Cairo

Efe

03 de junho de 2008 | 18h25

Uma equipe de arqueólogos egípcios descobriu parte de um caminho antigo chamado "avenida das Esfinges" no sítio arqueológico de Saqqara, 20 quilômetros ao sul do Cairo, anunciou nesta terça-feira, 3, o Conselho Supremo de Antiguidades (CSA). Segundo um comunicado do CSA, essa avenida foi mencionada em manuscritos do período greco-romano (332 a.C.-395 d.C.) e em outros documentos que apareceram anteriormente perto do Serapeum, um complexo funerário próximo onde eram sepultadas as múmias de touro sagrados. Um novo segmento desta avenida, datada do período ptolemaico (332 a.C.- 30 d.C), foi encontrado durante uma das escavações recentes na região, explicou o secretário-geral da CSA, Zahi Hawass. Esse trecho se estende em direção ao leste até a região do Vale do Nilo e a entrada de Anubieion, um complexo de templos na necrópole de Mênfis (Saqqara), perto do Cairo. Os arqueólogos também descobriram um bloco de pedra de caliça com inscrições do faraó Ptolomeu V (204-180 a.C.), que indicam que a parte descoberta da avenida pode ser o extremo sul do Anubieion, a zona leste da avenida, consagrada a um santuário dedicado a Anúbis, deus do inferno na antiguidade, segundo Hawass. Anubieion, voltado para o leste, e Serapeum, para o oeste, foram a primeira descoberta da "avenida das Esfinges", feita em 1850 pelo arqueólogo francês Auguste Mariette, acrescentou Hawass. Entre as principais atrações de Saqqara está a chamada "pirâmide de degraus" de Djoser, a primeira construção conhecida destas características da época faraônica.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoarqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.