Arqueólogos encontram joias de mais de 3 mil anos no Egito

Objetos foram encontrados em uma tumba que já foi atingida por incêndio; fogo destruiu parte da ruína

Efe,

10 de março de 2009 | 11h30

Arqueólogos espanhóis encontraram cinco colares e dois anéis de ouro da dinastia XVIII do Império Novo (1539-1075 a.C.) na cidade de Luxor, no sul do Egito. As peças foram encontradas em uma tumba, segundo o Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias (CSA). A tumba seria pertencente a Gehuti, responsável pelas colheitas durante o reinado de Hatchepsut (1482-1502 a.C). As joias podem ter pertencido ao próprio Gehuti ou a seus familiares, já que eles se vestiam como os reis da época, de acordo com o texto da CSA. Estudos apontam também que a tumba foi saqueada várias vezes. Além disso, um incêndio atingiu o local e destruiu parte das ruínas históricas.   

Tudo o que sabemos sobre:
egitoarqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.