Arqueólogos encontram QG de exército da antiguidade no Sinai

Arqueólogos egípcios descobriram o queafirmam ser o quartel-general do exército faraônico daantiguidade que guardou a fronteira nordeste do Egito por maisde 1.500 anos, disse o governo egípcio na quarta-feira. A fortaleza e a cidade adjacente, que os arqueólogosidentificaram com o nome antigo de Tharu, ficam na península doSinai, a cerca de três quilômetros a nordeste da cidade modernade Qantara, disse à Reuters o arqueólogo egípcio Mohamed AbdelMaksoud. O Conselho Supremo de Antiguidades do governo disse emcomunicado à imprensa que Tharu ficava no começo da estradamilitar que ligava o vale do Nilo ao Levante, áreas quepassaram boa parte do período sob controle egípcio. Os arqueólogos, liderados por Abdel Maksoud, vinhamtrabalhando desde 1986 nos fortes que ladeavam a estrada, masforam inscrições encontradas este ano que certificaram aidentificação, disse Maksoud. As inscrições fazem menção a três faraós -- Tutmosis 2, quereinou a partir de 1512 a.C e construiu as instalaçõesmilitares ao longo da rota, Seti 1 e Ramsés 2, que, juntos,governaram o Egito de 1318 a 1237 a.C. FORTALEZA DE TIJOLOS DE BARRO O sítio contém remanescentes de uma fortaleza feita detijolos de barro, datando da época de Ramsés 2 e que mede 500por 250 metros, com torres de quatro metros de altura, segundoo Conselho. Ainda segundo a organização, "estudos iniciais feitos nosítio comprovam que esse forte foi o quartel-general doexército egípcio dos tempos do Novo Reinado até o períodoptolemaico." O Novo Reinado começou por volta de 1570 a.C., e operíodo ptolemaico terminou com a morte de Cleópatra, no século1 a.c. "As características arqueológicas desse forte confirmam asinscrições em templos da antiguidade egípcia mostrando oformato da cidade de Tharu, que ficava no começo da estradamilitar Horus", disse o comunicado do Conselho. O governo informou ainda que o sítio contém o primeirotemplo do Novo Reinado já encontrado no norte do Sinai, silosem que o exército da antiguidade egípcia armazenava grãos earmas, e também fornos, escudos e tigelas de cerâmica.

JONATHAN WRIGHT, REUTERS

28 de maio de 2008 | 11h14

Tudo o que sabemos sobre:
ARQUEOLOGIASINAIEGITOFORTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.