Arqueólogos encontram vestígios de criança de Neanderthal

Criança viveu em uma caverna na província síria de Alepo há cerca de 50 mil anos

Efe

06 de setembro de 2008 | 20h05

Arqueólogos sírios e japoneses descobriram vestígios de uma criança de Neanderthal em uma caverna localizada na província síria de Alepo, ao noroeste de Damasco, informou neste sábado, 6, a agência oficial síria de notícias Sana.   O anúncio foi feito pelo chefe de escavações arqueológicas da Direção Geral de Antiguidades e Museus da Síria, Yousef Kanjo, citado pela agência.   Ele explicou que os pesquisadores acharam na gruta de Deidarieh, cerca de 400 quilômetros ao norte de Damasco, os restos da criança que viveu nessa região há cerca de 50 mil anos.   Além disso, no interior da gruta os arqueólogos encontraram vestígios arquitetônicos de cinco casas que datam da civilização de Natouf, que floresceu em território palestino entre os anos 13.000 e 11.000 antes de Cristo, disse Kanjo.   As ruínas revelam que essa cultura se expandiu ao norte da Síria, segundo o responsável sírio, que destacou que esta é a primeira vez que se descobre nesse país árabe vestígios de casas que datam dessa antiga civilização.   Por último, revelou que na caverna também foram encontrados, a quatro metros de profundidade, utensílios de pedra que pertencem ao período histórico de Yabroud.   A caverna de Deidarieh é considerada pelos arqueólogos como uma das mais importantes do mundo, já que nela já se acharam vestígios de vida humana que datam de cerca de 300 mil anos atrás.

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologiaciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.