Arqueólogos podem ter encontrado tesouro na China

Arqueólogos que estão fazendo escavações na tumba do primeiro imperador da China podem ter encontrado o tesouro com o qual ele foi enterrado. Segundo os arqueólogos, o exame de ressonância magnética do local em que eles estão trabalhando revelou uma grande quantidade de moedas sobre a tumba, que ainda não foi aberta.O mausoléu do imperador Qin, perto da antiga capital imperial Xian, ficou famoso em 1976 com a descoberta de 8 mil soldados de terracota que estavam montando guarda.O imperador governou a China de 221 a.C. a 210 a.C. e se acredita que ele levou anos construindo sua imensa tumba subterrânea.Tesouro estatalO monte de terra que cobre a tumba permanece praticamente intacto, porque os arqueólogos temem causar danos aos tesouros ali enterrados.Segundo a agência estatal de notícias Xinhua, o exame magnético conduzido por arqueólogos alemães e chineses revelaram novos detalhes da estrutura do mausoléu, incluindo a grande quantidade de moedas.A agência cita Michael Petzet, presidente do Conselho Internacional de Monumentos, dizendo que o aglomerado de moedas pode ser "um tesouro imperial".Petzet disse que as moedas do tempo do Imperador Qin provavelmente eram feitas de bronze e algumas de prata.No entanto, Petzet insistiu que até que os arqueólogos tivessem uma idéia mais clara de como proteger as moedas, elas deveriam ser deixadas onde estavam."Algumas vezes escavação significa destruição", disse Petzet, segundo a agência."Deixe que elas fiquem dormindo no subterrâneo. É mais seguro. Nenhuma escavação deveria ser feita por brincadeira ou curiosidade."

Agencia Estado,

21 de outubro de 2005 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.