Artigos científicos brasileiros estão entre os mais citados

O Brasil está entre os 31 países que concentram 98% dos artigos científicos mais relevantes no mundo, segundo levantamento publicado pela revista Nature. Em 24.º lugar, o País está à frente de Taiwan, Irlanda, Luxemburgo, Portugal, Grécia, Cingapura e África do Sul, por exemplo. Poderia estar e melhor posição se os cientistas brasileiros estivessem todos trabalhando no Brasil ? seus artigos contam pontos para os países onde eles foram produzidos.Como é comum hoje entre países em desenvolvimento, o Brasil teve um salto no número de artigos científicos produzidos e citados. De 1993 a 97, o País produziu 27.874 artigos com indexação internacional, passando para 41.971 entre 97 e 2001. Neste segundo período avaliado, 188 artigos brasileiros estiveram entre os 1% dos mais citados no mundo. Coréia do Sul, China, África do Sul e Irã também deram grandes saltos.O ranking foi desenvolvido por David King, chefe do Escritório de Ciência e Tecnologia do Reino Unido e professor da Universidade de Cambridge, e analisa 193 países sob o ponto de vista da produção anual de artigos científicos e o número de citações que recebem. King tomou como base os dados do Thomsom Instituto para Informação Científica (Thomsom ISI), que indexa pelo menos 8 mil periódicos científicos editados em 36 idiomas.Resultados práticosEm um estudo paralelo, King criou um indicador para quantificar o impacto da produção científica na qualidade de vida nos vários países, e constatou que os resultados práticos ainda não condizem com os esforços dos pesquisadores. Levando-se em conta o chamado Índice RBI ? que considera o PIB e outros indicadores sociais ?, o Brasil cai para 26.º lugar no ranking dos artigos científicos mais influentes.O novo indicador apenas quantifica o que já se sabe: a produção científica é mais intensa nos países ricos e seus resultados efetivos beneficiam os cidadãos mais abastados do planeta. No ranking do RBI, a Suíça está em 1.º lugar, seguida dos Estados Unidos e Dinamarca.No ranking absoluto de citações e de participação entre os 1% de artigos mais citados, os Estados Unidos continuam líderes, mas seus números vêm crescendo menos do que, por exemplo, os dos países europeus. A participação do país no bloco dos 31 que concentram os artigos mais relevantes passou de 37,46% (93 a 97) para 34,86% (97 a 2001).

Agencia Estado,

16 de julho de 2004 | 13h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.