Artistas plásticos criam em vôo de gravidade zero

Dos três artistas a bordo, apenas um conseguiu terminar suas obras sem sentir náuseas

AP

08 de julho de 2008 | 18h30

Três artistas britânicos lutaram contra a náusea e a falta de gravidade em um esforço para fazer arte nesta terça-feira, 8, a bordo de uma nave usada para treinamento de cosmonautas. Na hora em que as obras estavam terminadas, dois dos artistas estavam enjoados, assim como um gato preto que eles levaram como parte da performance, disse Nasser Azam, um dos artistas a passear no avião, apelidado de "cometa do vômito". O avião fez dez vôos em forma de parábola antes de aterrissar no centro Star City de treinamento de cosmonautas em Moscou. Os artistas experimentaram a gravidade zero em intervalos de 23 segundos durante o vôo, uma série de subidas e descidas que simulam a falta de peso.  Toda vez que o avião subia para mais um mergulho, os artistas experimentavam curtos períodos de gravidade dupla, durante os quais sentiam o dobro de seu peso. Enquanto estava a bordo, a artista Lyn Hagan filmou as reações de um gato e de um rato na gravidade zero. De acordo com Azam, tanto o gato quanto Hagan ficaram enjoados após três loops do avião, o que interrompeu a criação da obra.  "O que descobrimos é que o gato se tornou um rato", disse. "O gato ficou muito mais assustado que o rato." Nenhum dos animais se machucou durante o vôo, disse o artista.  Luke Jerram, o terceiro artista a bordo, ficou enjoado e seu projeto foi interrompido. Azam, ao contrário, terminou pinturas pré-preparadas de figuras sem corpo inspiradas por Francis Bacon. "Francamente eu fiquei eufórico", disse Azam depois do vôo. "Houve momentos em que pintei de cabeça para baixo."  Ele iniciou suas telas em Londres, usando tinta, e as terminou a bordo usando pastéis a óleo. A tinta teria flutuado em condições de falta de gravidade, disse o artista. Azam disse que foi o único artista que não perdeu seu café da manhã a bordo. Médicos prenderam Hagan e Jerram a cadeiras, quando começaram a se sentir mal. Mais oito artistas estavam programados para participarem do vôo, mas desistiram por diversas razões.  Os resultados da viagem - incluindo as pinturas e o vídeo - vão ser expostos no County Hall Gallery em outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
arteespaçociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.