Astronauta americano cresceu 5 cm em menos de 1 ano no espaço

Mudança ocorreu pela ausência de força gravitacional, que permite a expansão dos discos da coluna vertebral

O Estado de S. Paulo

04 Março 2016 | 16h09

O astronauta Scott Kelly, o americano que mais tempo permaneceu em uma missão na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), cresceu 5 centímetros em menos de um ano, segundo foi informado nesta sexta-feira, 4, pela imprensa local.

A coluna de Kelly, que retornou na quarta-feira desta semana à Terra, após completar com sucesso a missão espacial, esticou pela falta de gravidade.

Na Terra, a força gravitacional comprime os ossos mas, no espaço exterior, sua ausência permite a expansão dos discos da coluna vertebral, segundo relata a emissora CNBC.

No entanto, algumas horas depois de voltar à Terra, Scott recuperou sua forma original e voltou a ser exatamente igual em altura que seu irmão gêmeo, Mark, astronauta aposentado, segundo confirmou a CNN com os irmãos.

O astronauta esteve no espaço durante 340 dias com o objetivo de estudar as mudanças fisiológicas que o corpo humano experimenta no espaço.

As averiguações serão aplicadas em futuras missões de exploração do Universo, especialmente em possíveis expedições a Marte, assinalaram nesta quinta o diretor da Nasa, Charles Bordem, e o diretor do Escritório de Ciência e Tecnologia da Casa Branca, John Holdren.

Kelly, de 52 anos, participa junto com seu irmão gêmeo de dez pesquisas sobre psicologia humana, saúde, microbiologia e estudo molecular nas quais se comparam seus dados, um no espaço e outro na Terra./ EFE

Mais conteúdo sobre:
ISSTerraUniversoMarteNasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.