REUTERS/Shamil Zhumatov
REUTERS/Shamil Zhumatov

Astronauta torna-se a mulher a ficar mais tempo no espaço: 289 dias

Christina Koch chegou à Estação Espacial Internacional no dia 14 de março

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2019 | 21h13

A astronauta americana da Nasa, Christina Koch, tornou-se neste sábado, 28, a mulher que esteve mais tempo no espaço - 289 dias consecutivos - estabelecendo um novo recorde histórico.

Christina, de 40 anos, chegou à Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês) no dia 14 de março, superando neste sábado a marca estabelecida por sua compatriota Peggy Whitson, que passou 288 dias seguidos em órbita.

"É uma coisa maravilhosa para a ciência. Vemos outro aspecto de como o corpo humano é afetado pela microgravidade a longo prazo, e isso é algo realmente importante para o avanço de nossa futura missão à Lua e Marte", explicou ela, em entrevista à CNN, direto da Estação Espacial Internacional.

Seu retorno à Terra está programado para fevereiro de 2020. Com isso, ela permanecerá um pouco abaixo do maior tempo registrado até agora por um astronauta da Nasa, de 340 dias no espaço, contabilizado por Scott Kelly.

O recorde total de permanência de um astronauta no espaço foi estabelecido em 1995 pelo russo Valeri Polyakov, com 438 dias.

Este não foi o primeiro recorde quebrado por Christina Koch, já que, em outubro deste ano, ela e sua parceira Jessica Meir, realizaram a primeira caminhada espacial de uma equipe formada apenas por mulheres, que durou mais de 7 horas. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.