Astronautas buscam danos no ônibus espacial a caminho da ISS

Inspeção tornou-se rotina após o acidente que levou à desintegração da nave Columbia, em 2003

Associated Press

08 de fevereiro de 2008 | 16h30

A tripulação do ônibus espacial Atlantis realizou uma inspeção detalhada nas asas da nave nesta sexta-feira, 8, procurando por sinais de danos que poderiam ter sido causados durante a decolagem.   Lançado na quinta-feira, após dois meses de atrasos, o Atlantis ruma para a Estação Espacial Internacional (ISS) com uma entrega especial: o laboratório Columbus, construído pela Agência Espacial Européia (ESA) e orçado em US$ 1,4 bilhão. A nave deve chegar ao posto orbital no sábado.   Mas, antes disso, a tripulação de sete astronautas precisa determinar se o ônibus espacial foi danificado por um dos pelo menos três fragmentos de espuma que se soltaram do tanque externo de combustível dois minutos após o lançamento.   Não há evidência de que os fragmentos tenham atingido o Atlantis, mas os astronautas dedicaram a sexta-feira a usar um braço-robô dotado de uma mira laser para examinar as asas e o nariz da nave. As imagens produzidas na inspeção serão transmitidas para a Terra e analisadas detalhadamente nos próximos dias.   Esse tipo de inspeção tornou-se rotina depois que um pedaço de espuma abriu uma brecha na blindagem do ônibus espacial Columbia, levando à destruição da nave em 2003.

Tudo o que sabemos sobre:
atlantisnasaissônibus espacial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.