Astronautas do Endeavour equipam robô canadense no espaço

Dois astronautas do ônibus Endeavourencerraram na madrugada de terça-feira uma missão de sete horasno espaço para instalar as ferramentas que serão utilizadaspelo novo robô Dextre em seus trabalhos na Estação EspacialInternacional. "É uma vista bem impressionante só de olhar para tudo láembaixo", comentou o astronauta Richard Linnehan, veterano emsaídas ao espaço, enquanto flutuava ao lado do colega RobertBehnken, cerca de 320 quilômetros acima da Terra. Foi a terceira de cinco saídas ao espaço previstas para os12 dias de missão do ônibus Endeavour junto à Estação EspacialInternacional. "Considero isto um verdadeiro sucesso para a equipe. Foi umótimo dia", disse Zebulon Scoville, coordenador das atividadesexternas da missão, em entrevista coletiva no Centro EspacialJohnson (EUA). A atividade foi tranqüila, mas os astronautas enfrentaramproblemas para afixar um experimento científico na parteexterna do laboratório europeu Columbus, e acabaram levando-ode volta ao módulo de cargas do ônibus. O robô canadense Dextre foi levado ao espaço em pedaços emontado durante a segunda saída desta missão. Ele lembra umgigantesco boneco, com braços de 3,4 metros. Graças a ele,segundo a Nasa, os astronautas vão se expor a menos riscos emtarefas de manutenção e poderão ter mais tempo livre para sededicar a atividades científicas. Também na terça-feira, após algumas horas de sono, ostripulantes vão transferir o Dextre por controle remoto parasua base, no laboratório espacial norte-americano Destiny. A tripulação do Endeavour chegou na quarta-feira à Estação,com a missão de instalar o Dextre e também de entregar ocompartimento de depósito de um novo laboratório japonês, cujaparte principal deve chegar no próximo ônibus espacial, emmaio. A Nasa ainda pretende realizar dez vôos para a construçãoda Estação antes de aposentar os ônibus, em 2010. Está previstotambém um vôo para a manutenção do telescópio espacial Hubble,no segundo semestre. Na sua quarta saída ao espaço, na quinta-feira, osastronautas vão testar uma técnica de reparo do escudoantitérmico do ônibus, que pode ser usada caso a nave tenhaalgum problema na ida até o Hubble -- nessa hipótese, osastronautas estariam distantes demais da Estação para serefugiar ali em caso de defeito.

ED STODDARD, REUTERS

18 de março de 2008 | 10h20

Tudo o que sabemos sobre:
ESPACOASTRONAUTASPASSEIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.