Astronautas realizam reparo bem-sucedido na estação espacial

Peggy Whitson e Daniel Tani trocaram o motor que faz girar um sistema de painéis coletores de energia solar

Associated Press,

30 de janeiro de 2008 | 16h59

Os dois astronautas americanos a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) completaram uma caminhada espacial mais arriscada que o normal nesta quarta-feira, para consertar um dos dois defeitos que atingem o sistema de geração de energia da base orbital, ameaçando o programa de ampliação da ISS.   Segundo nora divulgada pela Nasa, cerca de duas horas após o início da caminhada, Peggy Whitson e Daniel Tani conseguiram trocar o motor responsável pela inclinação dos painéis coletores de energia na direção do Sol.   Uma vez conectado o motor, eletricidade passou a fluir pela unidade. "Excelente!", disse Peggy. Controladores de missão testaram o motor enviando comandos da Terra e os resultados foram tão bons que a Nasa declarou a operação um sucesso.   A tarefa era perigosa porque havia o risco de os astronautas sofrerem choques elétricos. Por segurança, a tarefa teve início quando a ISS entrou na sombra da Terra. O mecanismo de inclinação do painel solar havia parado de funcionar no início de dezembro, agravando uma crise de energia que havia começado três meses antes, quando uma das juntas do suporte dos painéis travou.   Para evitar tomar um choque, Peggy e Tani tiveram de fazer a troca no escuro, parando quando a ISS passava para o lado iluminado do planeta e 160 volts cruzavam os cabos ligados aos painéis. Como precaução, os astronautas foram instruídos a não apontar lanternas para os painéis, evitando a geração de eletricidade. Mais cedo, a caminhada espacial quase chegou a ser cancelada, quando um problema de rádio impediu a comunicação dos astronautas com o controle de missão na Terra. Especialistas ainda não sabem o que fazer com o outro defeito, o da junta travada. O mecanismo parece estar entupido com aparas de metal, e estima-se que serão necessárias quatro caminhadas espaciais para limpá-lo. A Nasa pretende lançar o ônibus espacial Atlantis rumo à ISS na próxima semana, levando o laboratório Columbus, construído pela Agência Espacial Européia (ESA). Mas se os sistemas de geração de energia não forem reparados, missões futuras estarão em risco de cancelamento ou, pelo menos, adiamento.

Tudo o que sabemos sobre:
estação espacialissnasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.