Astronautas saem para segunda caminhada espacial na ISS

Semana na estação foi marcada por acidentes; tripulante perdeu ferramentas e fungos contaminaram Zarya

Reuters e Efe,

20 de novembro de 2008 | 19h45

Dois astronautas da nave Endeavour saíram para a segunda caminhada espacial de sua missão de conserto e ampliação da Estação Espacial Internacional (ISS) nesta quinta-feira, 20, prometendo tomar cuidado extra com a segurança de suas ferramentas.     Veja também: Roscosmos diz que há condições de prolongar vida útil da ISS Estação espacial internacional, a ISS, faz dez anos Astronauta perde a bolsa no espaço Astronautas da ISS iniciam primeiro trabalho extraveicular Endeavour se acopla à ISS em missão para ampliar complexo Urina purificada servirá de água potável para astronautas   Durante a primeira caminhada espacial a astronauta Heidemarie Stefanyshyn-Piper perdeu uma bolsa contendo metade dos objetos de trabalho da estação.   Essa não foi o único acidente na estação essa semana. A tripulação da ISS realiza cultivos em uma estufa orbital, mas por uma distração acabou favorecendo também a criação de fungos no módulo russo Zarya, revelou o Instituto de Problemas Biomédicos da Academia de Ciências da Rússia.   Os cosmonautas se lavaram na unidade Zarya e estenderam as toalhas molhadas e a roupa nos painéis, explicou a chefe do laboratório de microbiologia do instituto, Natalia Novikova, citada pela agência de notícias oficial Itar-Tass.   Como conseqüência houve a formação de fungos, o que contribuiu para uma "piora significativa das condições microbiológicas e sanitárias no módulo", acrescentou.   A aparição de fungos na ISS pode provocar graves danos à saúde dos cosmonautas, especialmente pela possibilidade de causarem fortes alergias.   Para evitar riscos, os especialistas "limitaram imediatamente o uso da unidade para procedimentos sanitários e higiênicos" e ordenaram aos cosmonautas que façam uma limpeza geral do módulo Zarya, cujo lançamento ao espaço há exatos dez anos representou o início do funcionamento da ISS.   Agora este problema foi solucionado definitivamente, já que na segunda-feira passada, a nave Endeavour transportou à plataforma orbital uma cabine que permite aos cosmonautas se lavarem.   Além disso, o novo cargueiro Progress M-01-M, cujo lançamento está previsto para o próximo dia 26, transferirá à ISS um segundo sistema de limpeza de ar Potok, como o que já funciona com sucesso no módulo de serviço Zvezda.   Consertos   Enquanto a Endeavour e a ISS viajavam acopladas a mais de 26 mil km/h, os dois astronautas americanos saíram do compartimento Quest às 15h58 (Brasília) para o trabalho do lado de fora, que durará cerca de seis horas e meia.   Se tudo transcorrer segundo o programado pela Nasa, os dois retornarão à ISS cinco órbitas mais tarde.   A primeira tarefa deles é realocar carrinhos usados para o movimento de tripulantes e equipes.   Stefanyshyn-Piper também inspecionou uma velha mancha em um cabo que passa energia e dados entre a estação e o carrinho.   "Parece uma marca negra", disse o astronauta no controle da missão no Centro Espacial Johnson, de Houston, que tinha detectado a mancha e queria saber do que se tratava.   Kimborough se segurou ao braço robótico Canadarm2 da ISS, operado pelos astronautas Sandra Magnus e Don Pettit de dentro do laboratório orbital, um projeto de US$ 100 bilhões e que conta com a participação de 16 nações.   A condução de tudo está a cargo do piloto da Endeavour, Eric Boe.   Esta é a quarta caminhada espacial de Stefanyshyn-Piper e a primeira de Kimborough.   Eles ainda terão outras tarefas que incluem a lubrificação de parte do braço robótico, de fabricação canadense, e a continuação de limpeza e lubrificação de uma junta rotatória de painéis solares.   Há dois dias, Stefanyshyn-Piper e Steve Bowen completaram a primeira das quatro caminhadas previstas na missão, durante a qual substituíram um tanque de hidrogênio e limparam uma junta rotatória situada no lado de boreste da ISS.   Nessa operação, o único incidente ocorreu quando Stefanyshyn-Piper soltou a bolsa na qual levava ferramentas e lubrificantes, que caiu no vazio sem que pudesse ser recuperada.   A nave Endeavour foi acoplada à ISS no domingo passado, cerca de 350 quilômetros da Terra em uma missão cujo principal propósito é ampliar a capacidade do complexo para que abrigue até seis astronautas a partir do ano que vem.   Para ampliar o espaço habitável, a Endeavour levou ao módulo italiano Leonardo alimentos, equipamentos novos e instalações para exercícios físicos, móveis e utensílios de cozinha, além de um sistema para reciclar a urina dos astronautas e transformá-la em água potável.   A Endeavour ficará acoplada à ISS até hoje, dia em que completa dez anos do lançamento do módulo russo Zarya, que deu início a essa estação espacial.   Ampliada às 20h47

Tudo o que sabemos sobre:
ISSciênciaespaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.