Astrônomos acham montanhas com ´luz eterna´ na Lua

Há uma região com "picos de luz eterna" na Lua, onde o Sol nunca se põe, anunciaram astrônomos. Uma equipe liderada por Ben Bussey, da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, estudou imagens dos pólos da Lua, tiradas a partir da sonda Clementine em 1994.Os pesquisadores produziram um filme mostrando como a iluminação sobre essas regiões lunares mudava ao longo de um mês. Eles descobriram quatro áreas na borda da cratera Peary, de 73 km de diâmetro, que parecem permanecer iluminadas durante toda a duração do dia lunar.EstaçõesO eixo de rotação da Lua tem um desvio de cerca de 1,5 grau com relação à órbita da Terra ao redor do Sol. Como conseqüência, a Lua possui curtas mas perceptíveis estações e uma exposição acentuada à luz do Sol em seus pólos. O ângulo do eixo de rotação lunar leva à existência de alguns pontos dentro das crateras que nunca recebem luz.Mas os cientistas vinham se perguntando há tempos se existem, nas bordas das crateras, áreas onde é possíve avistar o Sol todo o tempo. Pensava-se que não houvesse nenhum ponto assim na superfície lunar - embora alguns estudos já tivessem identificado regiões polares que permaneciam iluminadas 95% do tempo.Conclusão prematuraA novo estudo da Universidade Johns Hopkins sugere que as conclusões anteriores - de que não havia tal região sempre iluminada - podem ter sido prematuras. Ao contrário do pólo sul lunar, o pólo norte do astro teria picos que ficam constantemente iluminados - pelo menos durante o verão no satélite terrestre.Ben Bussey advertiu, porém, que a iluminação contínua poderia ser um efeito dessa determinada estação, deixando de existir no inverno. Até o momento, não há dados sobre a incidência de luz na região durante este período lunar.A descoberta de um ponto sempre iluminado faria do pólo norte lunar uma região com forte potencial para exploração e para a instalação da primeira base humana permanente na superfície da Lua. Essa localização traria melhores condições para os astronautas.A variação de temperatura ao longo do dia seria de apenas 20°C, algo bem mais fácil de enfrentar do que as variações de até 250°C da zona equatorial. A equipe de Bussey identificou também extensas regiões de escuridão permanente na Lua. Nelas, acredita-se haver gelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.