Astrônomos descobrem a galáxia mais distante do Universo

Com telescópios da Nasa, americanos observam galáxia denomidada A1689-zD1, formada há 12,8 bi de anos

Efe,

13 de fevereiro de 2008 | 08h19

Astrônomos americanos descobriram através dos telescópios espaciais Hubble e Spitzer, da Nasa, o que pode ser uma das galáxias mais distantes já vistas, cuja formação ocorreu há mais de 12,8 bilhões de anos, informaram os pesquisadores nesta quarta-feira, 13.   Acredita-se que a galáxia, denominada A1689-zD1, tenha sido formada 700 milhões de anos depois do "nascimento" do Universo.   As imagens mostram a galáxia, mais jovem e brilhante, em um momento de transformação, na "idade escura", pouco depois do "big bang", mas antes que se formassem as primeiras estrelas.   As atuais teorias indicam que a "idade escura" começou cerca de 400.000 anos depois do "big bang".   "Ficamos surpreendidos quando descobrimos essa jovem e brilhante galáxia que se remonta a 12,8 bilhões de anos. São as imagens mais detalhadas de um objeto tão distante tiradas até agora", indicou o astrônomo Garth Illingworth, da Universidade da Califórnia e membro da equipe de pesquisadores.   As imagens servirão para estudar os anos de formação do nascimento das galáxias e sua evolução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.