Astrônomos descobrem celeiro de galáxias

Uma abundante população de galáxias muito distantes, formadas de 9 bilhões a 12 bilhões de anos atrás, foi descoberta em uma região do céu conhecida como Constelação da Baleia, segundo uma equipe de astrônomos franceses, italianos e alemães.Eles afirmam em artigo na revista Nature que, naquela região, as galáxias são de duas a seis vezes mais numerosas do que se estimava até agora, e nestas galáxias as presenças de estrelas são mais que o dobro do observado até agora.As observações destes últimos anos levavam a crer que as galáxias, assim como as primeiras estrelas, haviam aparecido muito antes do que se acreditava dez anos atrás. Mas com esta descoberta, parece se impor uma revisão profunda das teorias de formação e evolução das galáxias.A equipe, dirigida por Olivier Le Fevre, do Laboratório de Astrofísica de Marselha, e Gianpaolo Vettolani, do Instituto Nacional de Astrofísica (INAF), da Itália, trabalhou em uma pesquisa aprofundada do céu efetuada com um dos instrumentos do Telescópio Gigante (VLT), do Observatório Europeu Austral (ESO), em La Silla (Chile), e seu espectroscópio de imagem VIMOS.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2005 | 12h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.