Caltech/Divulgação
Caltech/Divulgação

Astrônomos encontram evidências de 9º planeta no Sistema Solar

Apelidado de 'Planeta Nove', o corpo celeste está escondido após a órbita de Plutão e pode ter massa 10 vezes maior que a da Terra

O Estado de S. Paulo

20 Janeiro 2016 | 17h37

Um nono planeta, gigante e glacial, pode ter sido descoberto dentro do Sistema Solar, anunciaram nesta quarta-feira, 20, astrônomos do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech, na sigla em inglês), dos Estados Unidos.

Escondido após a órbita de Plutão, o apelidado "Planeta Nove" tem uma massa que pode chegar a ser dez vezes superior à da Terra, de acordo com estudo publicado nesta quarta no "Astronomical Journal".

A descoberta do novo planeta foi feita por meio de um movimento recente feito pelos chamados "planetas anões" e outros corpos menores no espaço interior. Eles teriam sido afetados por uma força gravitacional que só pode proceder de um planeta oculto, com uma "massa perturbadora", segundo Michael Brown e Konstantin Batygin, os astrônomos que lideraram o estudo.

No entanto, a equipe ainda não conseguiu observar o "Planeta Nove" diretamente. Os cientistas tentam, agora, demonstrar sua teoria com a ajuda de telescópios.

A dificuldade na tarefa ocorre porque ele está 20 vezes mais longe que Netuno, o oitavo planeta no Sistema Solar. Além disso, por estar mais longe do Sol, sua visibilidade é ainda menor.

Com um diâmetro que pode ser até quatro vezes maior que o da Terra, se confirmada sua existência, o "Planeta Nove" pode ser o quinto maior do Sistema Solar, atrás de Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Sistema Solarplanetas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.