Astrônomos prevêem chuvas de meteoros nesta semana

Esta semana está especialmente favorável para a observação de meteoros - as chamadas estrelas cadentes, ou bólidos brilhantes, para os mais íntimos da astronomia.A Terra está passando por uma nuvem de poeira e pequenos pedregulhos deixados em sua órbita pelo cometa Encke. Durante a travessia, muitos desses grãos acabam "caindo" na atmosfera do planeta, produzindo uma chuva de meteoros.Eles são chamados Taurídeos, porque parecem sair da constelação de Touro, localizada na porção norte do céu. Mas trata-se apenas de uma referência visual. Os meteoros são grãos de poeira e pequenos fragmentos rochosos (tipo cascalho) largados no caminho da Terra pelo Encke, um cometa periódico que orbita o Sol a cada 3,3 anos.Os fragmentos entram na atmosfera a 100 mil quilômetros por hora, criando o efeito da estrela cadente. "O atrito com o ar eleva muito a temperatura. Esse calor ioniza o ar e provoca luminescência", explica o astrônomo Irineu Gomes Varella, do Planetário e Escola Municipal de Astrofísica de São Paulo.O encontro ocorre anualmente nessa época, mas a previsão é de que neste ano os meteoros sejam especialmente brilhantes, por causa do tamanho dos fragmentos neste trecho da órbita.Para observá-los basta ficar de olho na constelação de Touro, no horizonte norte. E contar com a sorte."É impossível prever exatamente quando um deles vai aparecer. Obviamente, quanto mais tempo você ficar observando, melhor", diz o astrônomo amador Tasso Napoleão. Vários meteoros já foram observados nos últimos dias. O ideal é procurar por um lugar escuro e com céu limpo, evidentemente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.