Astrônomos vêem galáxia a 13,23 bilhões de anos-luz

Olhando para onde ninguém olhou antes,astrônomos franceses e suíços disseram ter detectado a galáxia mais distante já observada, uma visão da época em que o universo era apenas um bebê. A galáxia, batizada como Abell 1835IR1916, está a 13,23 bilhões de anos-luz da Terra, batendo por pouco uma galáxia há pouco tempo anunciada como a mais distante já avistada, informouo Centro de Pesquisas Científicas da França, um dos maioresinstitutos de pesquisa da Europa. Acredita-se que o Big Bang tenha ocorrido há 13,7 bilhões deanos. Com isso, a luz emitida por essa galáxia dataria de poucomais de 450 milhões de anos depois do Big Bang. "É como se estivéssemos observando a infância do universo",disse o cientista Roser Pello, ummembro da equipe de astrônomos responsável pela descoberta."Trata-se de uma galáxia que estava começando a se formar." A galáxia situa-se na constelação de Virgo. Em termosespaciais, ela é pequena, sendo pelo menos dez vezes menor que aVia Láctea, galáxia onde situa-se nosso sistema solar. De acordo com Daniel Schaerer, do Observatório de Genebra, adescoberta da equipe com a qual trabalha ajuda a confirmarteorias sobre a formação das primeiras estrelas e galáxiasdepois do Big Bang - o fenômeno consiste em uma explosão demassa aglomerada ocorrida em uma fração de segundo, espalhandofragmentos, calor e radiação pelo universo. Acredita-se queforam necessários 300 milhões de anos para que o universoesfriasse e as estrelas começassem a se formar a partir dehidrogênio e hélio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.