Até republicanos pressionam Bush por pesquisas com embriões

A republicana Nancy Reagan, ex-primeira dama dos Estados Unidos, é a mais nova adversária da política do republicano George W.Bush para as pesquisas com células-tronco embrionárias. Agora Bush tem contra si uma pressão ainda maior para liberar recursos e reduzir restrições ao uso de embriões humanos descartados em clínicas, que podem ser usados para tentar a cura de doenças como Alzheimer e Parkinson.No sábado, em Beberly Hills, Nancy fez um pronunciamento emocionado em defesa das pesquisas, num evento organizado pela Fundação de pesquisa da Diabetes Juvenil e contou com personalidades da esquerda à direita. O marido de Nancy, o ex-presidente Ronald Reagan, sofre de Alzheimer e ela contou como a doença o arrastou para ?um lugar distante? da realidade. ?Não posso alcançá-lo nem compartilhar mais o que vivemos durante 52 anos?, disse.No evento, os atores Harrison Ford e Calista Flockhart leram cartas dos ex-presidentes Gerald Ford, Jimmy Carter e Bill Clinton em favor da iniciativa de Nancy, que começa a liderar um movimento pelas pesquisas com embriões. O ator Michael J. Fox, que sofre de Parkinson, lembrou que a ex-primeira-dama pode despolitizar a questão.Mudança de opiniãoAs pesquisas com células-tronco embrionárias são tão importantes para os cientistas quanto polêmicas. Alguns tipos de células-tronco têm potencial para serem usados, no futuro, na regeneração de tecidos, o que seria útil no caso de doenças Alzheimer, Parkinson e diabetes.Mas o uso de embriões humanos ainda é mal-visto, e há pouco espaço para explicações dos cientistas sobre como seria seu uso ? restrito apenas aos embriões não aproveitados nas clínicas de fertilização assistida e que seriam jogados no lixo de qualquer forma.A pressão tem dado bons resultados. Em abril, 206 membros da Câmara, incluindo dezenas de oponentes do aborto, assinaram uma carta pedindo a Bush que autorize o governo a financiar estudos com embriões não aproveitados. Um deles é o deputado republicano Dana Rohrabacher, que era contrário às pesquisas. Seu porta-voz disse que o deputado foi persuadido pelas histórias dos pacientes.BushQuanto a Bush, um porta-voz da Casa Branca afirmou na semana passada que ele não mudará de posição. A política do governo republicano foi anunciada em agosto de 2001 e restringe a pesquisa com células-tronco de modo a não permitir que embriões sejam destruídos.Mas até o líder republicano no Senado, Bill Frist, que subsidiou a política de Bush para as pesquisas, já admite rever algumas posições. "Já se passaram três anos e creio que é hora de fazê-lo", disse.

Agencia Estado,

10 de maio de 2004 | 11h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.