Austrália busca votos contra pesca de baleias

O ministro australiano do Meio Ambiente, Ian Campbell, visitará as nações de Salomón, Kiribati e Tonga para buscar os votos necessários para evitar o reatamento da captura comercial de baleias, informaram fontes oficiais nesta segunda-feira.Recém chegado da Europa, onde realizou uma campanha similar e disse que recebeu grande apoio, Campbell viajará às ilhas do Pacífico Sul com a esperança de que comprometam seu voto na assembléia anual da Comissão Baleeira Internacional, que será realizada na Coréia do Sul.A Austrália não recorrerá a ameaças contra o Japão, mas se comprometeu a pressionar o governo japonês a mudar seu plano de retomar a pesca de baleias, e também não enfrentará Tóquio para proibir a entrada de seus navios em águas da Antártida.Desde 1987, o Japão mantém uma cota própria de caça com um máximo de 800 baleias ao ano e, apesar de ter assinado a moratória, começou seu programa científico pelo qual continua a captura de cetáceos "com fins de pesquisa".Em 2000, Tóquio expandiu unilateralmente sua captura ao cachalote (macrocephalus physetter) e a baleia de Bryde ou tropical (edeni baslaenoptera) no Oceano Pacífico setentrional.A Comissão Baleeira Internacional decidirá em sua 57.ª reunião anual, no final de junho na cidade sul-coreana de Ulsan, se levanta a moratória de 20 anos à caça comercial de baleias, indica o comunicado oficial do Ministério do Meio Ambiente.

Agencia Estado,

06 de junho de 2005 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.