Ave morta na Grã-Bretanha tinha variante mortal de gripe

Testes confirmaram que o papagaio que morreu de gripe aviária enquanto estava de quarentena na Grã-Bretanha tinha a variante H5N1 do vírus, a mesma que matou 60 pessoas na Ásia. A ave havia vindo do Suriname, uma região até agora livre da doença.A veterinária-chefe britânica, Debby Reynolds, disse que o papagaio provavelmente contraiu o vírus de outros pássaros em quarentena, talvez de um grupo de aves de Taiwan.Especialistas disseram que a ameaça deste vírus para os seres humanos é pequena, pois a doença não se espalha facilmente entre as pessoas. Mas há o temor de que o H5N1 possa causar uma pandemia, se combinado com um vírus de gripe humana, tornando mais fácil a transmissão.QuarentenaO departamento do Meio-Ambiente, Alimentos e Assuntos Regionais está pedindo uma avaliação de risco individual para cada ave em quarentena antes de sua liberação. Há cerca de duas mil aves em quarentena em oito locais na Grã-Bretanha.Mas, como a morte do papagaio aconteceu durante a quarentena, o país continua a ser considerado livre da gripe aviária.O presidente da Sociedade Geral de Microbiologia, Hugh Pennington, disse que neste momento não há riscos para os seres humanos pois os animais contaminados estão mortos.A preocupação com o vírus levou o governo britânico a pedir uma proibição da importação de animais selvagens pela União Européia. Atualmente, apenas a importação de aves de países que têm casos de gripe aviária, como Romênia, Tailândia e Turquia, é proibida.Já foram confirmados 120 casos de pessoas contaminadas com a gripe na Ásia, com 60 mortes.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

24 de outubro de 2005 | 10h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.