Aventureiro cruza o Canal da Mancha numa cadeira amarrada a balões

Jonathan Trappe tinha equipamentos de localização e autorozação das autoridades

Associated Press

28 Maio 2010 | 13h42

Trappe reúne seus balões depois de pousar em plantação de repolhos na França. Gareth Fuller/AP

 

Um aventureiro americano cruzou o canal da Mancha, entre Inglaterra e França, pelo ar, carregado por um punhado de balões coloridos de hélio e terminando o voo tranquilo numa plantação francesa de repolhos.

 

Jonathan Trappe, de 36 anos, estava amarrado a uma cadeira especialmente equipada, presa sob um brilhante aglomerado de balões ao decolar de Kent, no sudeste inglês.

 

Cerca de cinco horas depois, ele desceu no campo francês, soltando alguns dos balões. "Foi uma experiência excepcional, quieta e pacífica", disse Trappe à TV Sky News, que cobriu a aventura.

 

Trappe mostra às autoridades a autorização para voar com sua aeronave de balões. Gareth Fuller/AP

 

Perguntado sobre o motivo do feito, Trappe respondeu: "Você não tinha esse sonho, pegar um punhado de balões de festa e sair voando? Acho que é uma coisa compartilhada além de culturas e fronteiras, essa fantasia maravilhosa de agarrar balões de brinquedo e flutuar pelo céu".

 

No entanto, a passagem do canal requereu mais que agarrar um punhado de balões.Trappe diz, em seu website, que fez uma viagem preparatória em março e obteve autorização das autoridades aeroviárias francesas e britânicas, além das alfândegas e serviços de imigração dos dois lados. 

 

Seu equipamento também não se resumiu a balões e uma cadeira, mas incluía um transponder de aviação, sistema de oxigênio, rádios, localizador de emergência, rastreamento por satélite e rastreamento por rádio. 

 

"Ele tinha todas as autorizações corretas e creio que até pagou alguma coisa ao dono da terra onde desceu, à guisa de indenização pelos danos", disse um porta-voz da polícia francesa.

 

No mês passado, Trappe bateu o recorde de mais longo voo em balão livre, depois de passar 14 horas ao sabor do vento na Carolina do Norte e percorrer 150 km. Em outro voo, seu website diz que ele chegou a 6.000 metros, pouco abaixo do espaço aéreo controlado.

 

A viagem de Trappe foi bem mais tranquila que o primeiro voo de balão sobre o Canal da Mancha, realizado em 1785. O balão de hidrogênio do francês Jean-Pierre François Blanchard e do americano John Jeffries vazou durante a viagem, e os dois jogaram fora todo o lastro e boa parte das próprias roupas no mar. O balão mal conseguiu se manter no ar o suficiente para chegar ao porto francês de Calais.

Mais conteúdo sobre:
balõesvoosobrevootrappe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.