Bacterias sobrevivem à pressões extremas

Ninguém espera encontrar camelos vagando pelos desertos marcianos, ou cardumes de peixes passeando pelo mar gelado subterrâneo de uma lua joviana, mas a existência de vida microbiana fora da Terra é uma possibilidade cada vez menos remota. Uma dupla de pesquisadores da Carnegie Institution, em Washington, submeteu colônias de bactérias a condições de pressão semelhantes às que seriam encontradas nas crostas de gelo de algumas luas de Júpiter ou sob as calotas polares de Marte. E elas sobreviveram - apenas 1% delas, mas o suficiente para ampliar a "zona habitável" do sistema solar, segundo os cientistas."As bactérias podem não gostar, mas são capazes de se adaptar e sobreviver a condições extremas de pressão", disse ao Estado o microbiologista James Scott. Ele assina com o geoquímico Anurag Sharma o estudo publicado na revista Nature. "Acreditamos que seja um mecanismo comum de sobrevivência entre esses organismos." O trabalho soma-se a vários outros que já detectaram formas de vida bacteriana em ambientes extremos, como em fendas oceânicas, no fundo de geleiras ou, mais recentemente, 200 metros abaixo do solo.A maior pressão aplicada sobre as bactérias foi equivalente à de 50 quilômetros abaixo da crosta da Terra ou 160 quilômetros sob um oceano hipotético. As espécies usadas no estudo foram a Shewanella oneidensis, comum em água doce, e a Escherichia coli, que vive no intestino humano e serve como o rato de laboratório da microbiologia. Na ausência de oxigênio, ambas utilizam derivados de ácido fórmico para o seu metabolismo.As bactérias foram colocadas em uma prensa de diamantes, dentro de uma câmara de 25 por 150 micrômetros (10-6 metros). "É um processo mecânico, como fazer um sanduíche", disse Scott. Após 30 dias de pressão contínua, 1% das bactérias estavam vivas. Elas ficaram maiores e cessaram o processo de divisão celular. "Os resultados indicam que a pressão pode não ser um impedimento significativo à vida", dizem os cientistas.

Agencia Estado,

21 de fevereiro de 2002 | 21h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.