Bancada evangélica diz que Dilma considerou de mau gosto material sobre homofobia

Segundo Gilberto Carvalho, duas coisas a 'perturbaram muito' a presidente ontem: o material de combate à homofobia e a aprovação do texto do Código Florestal

Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

25 Maio 2011 | 12h41

BRASÍLIA - O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse aos deputados da bancada evangélica que a presidente Dilma Rousseff afirmou que "duas coisas a perturbaram muito ontem: o material preparado pelo governo para o combate à homofobia e o resultado da votação do Código Florestal". A informação foi dada pelos deputados Anthony Garotinho (PR-RJ), George Hilton (PRB-MG) e Ronaldo Fonseca (PR-DF).

 

Segundo relato dos deputados, Gilberto contou que a presidente Dilma quer a imediata retirada desse material e convocou os ministros da Educação e da Saúde para uma reunião amanhã para tratar da publicação. Garotinho disse, após encontro com Gilberto Carvalho, que a presidente assistiu o filme e leu as cartilhas, que compõem o kit elaborado pelo governo sobre homofobia, e que "achou de extremo mau gosto".

 

O deputado Ronaldo Fonseca contou que Gilberto Carvalho disse que a presidente afirmou que novo material só será distribuído após discussão de conteúdo com parlamentares da frente evangélica, católica e de defesa da família.

 

Garotinho disse que, diante da posição da presidente, a bancada, então, vai suspender a obstrução anunciada ontem e não vai endossar convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, e nem se movimentar pela CPI do MEC. O deputado disse ainda que eles aguardam novas informações sobre a suspensão de sua veiculação do material de combate à homofobia. Garotinho disse que o material "é um incentivo ao homossexualismo", mostra cenas de sexo oral e anal. "Não concordamos com isso e a presidente disse (segundo o ministro Carvalho) que o material vai ser retirado", afirmou Garotinho.

 

"O ministro Gilberto Carvalho insistiu que só recebeu este material há alguns dias e ele será revisto, conforme assegurou a presidente", disse o deputado George Hilton. "Ela ficou indignada. Ele (Gilberto) disse que ela usou esta palavra. E ela disse que, quando viu o material ontem à noite em casa, o classificou de péssimo gosto, péssima qualidade e um material que não poderia estar sendo distribuído com a marca do governo federal", disse o deputado Hilton, repetindo palavras do ministro. Com isso, prosseguiu o deputado, a presidente disse a Gilberto que iria suspender tanto material da internet quanto o material gráfico.

 

Veja também:

link Haddad nega que cartilhas contra homofobia sejam do Ministério

linkHaddad nega que MEC irá alterar conteúdo de material de combate à homofobia nas escolas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.