Banco de células-tronco tem excesso de doadores

Criado em 19 de outubro, o primeiro banco mundial de células-tronco embrionárias humanas, em Seul, recebeu na terça-feira mais de 3.500 inscrições de doadores voluntários. O site da instituição ficou sobrecarregado no seu primeiro dia de funcionamento.O banco é comandado pelo cientista Hwang Woo-suk, pioneiro na clonagem de embriões humanos para obter células-tronco. O banco fornecerá material para pesquisas internacionais sobre doenças neurodegenerativas e lesões na medula espinhal.Através do site, pessoas com doenças como Alzheimer e Parkinson, por exemplo, se inscrevem como doadores de pequenas porções de tecidos para que suas células sejam usadas nos estudos. World Stem Cell Hub www.worldstemcellhub.orgIsso não significa que esses doadores serão tratados com o uso de células-tronco.A idéia de Hwang Woo-suk é permitir que pesquisadores do mundo inteiro possam ter no banco o material necessário para seus estudos, principalmente no caso de cientistas de países onde é proibido fazer este tipo de pesquisa.O pesquisador sul-coreano planeja criar ramificações do banco de células-tronco em outros países, e já está decidido que os primeiros serão a Grã-Bretanha e os Estados Unidos.Os voluntários inscritos serão selecionados e submetidos a testes antes de terem seus tecidos coletados para o banco de células. Ainda não foi divulgada a data para o início destes testes e também não há prazo para o término das inscrições.   leia mais sobre células-tronco

Agencia Estado,

02 de novembro de 2005 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.