Banco Mundial alerta para risco econômico da gripe

O Banco Mundial diz, em um novo relatório, que uma pandemia de gripe aviária poderia afetar seriamente a economia global. O relatório afirma que o Leste Asiático já sofre o principal impacto econômico do H5N1, variante mais perigosa do vírus.Até o momento, as perdas se concentram especialmente sobre o comércio de frangos. As medidas de controle da doença, como o sacrifício de milhares de aves, levaram ao declínio de 15% a 20% nos estoques de frango na Tailândia e no Vietnã, os países mais afetados pela gripe aviária.Fabricantes de ração e companhias que atuam no comércio de aves estão entre os setores mais prejudicados pelas medidas tomadas pelos países para tentar evitar a disseminação do vírus da gripe aviária. Também houve queda na produção de ovos.As perdas estão sendo parcialmente compensadas pelo aumento na produção de carne suína.Para o Vietnã, as perdas são de até 1% da renda nacional, diz o relatório do Banco Mundial.Efeitos mais sériosEm termos de saúde pública, o grande temor é que o vírus possa sofrer mutações e passe a ser transmitido também entre humanos. Se isso ocorrer, as perdas econômicas serão muito maiores.O impacto imediato seria o que o documento chama de esforços não coordenados das pessoas para evitar a infecção. Os efeitos poderiam ser grandes sobre indústrias de serviços, tais como turismo e transporte de massa.O efeito de curto prazo da Sars em 2003 foi equivalente a quase 2% da renda do Leste Asiático, diz o relatório. A Sars matou perto de 800 pessoas, enquanto a gripe aviária poderia causar a morte de milhões.Apesar dos alertas, o tom do documento é positivo, afirmando que as economias do Leste Asiático têm se ajustado bem a recentes choques econômicos, como o salto de 100% nos preços do petróleo.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

03 de novembro de 2005 | 10h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.