Bandit, o guaxinim glutão, morre depois de vida de recordes

Ele era louco por junk-food, mas sua dona jura que não foi graças a isso que Bandit bateu todos os recordes de peso de sua espécie. Nem foi por isso que ele morreu domingo, pondo fim a 10 anos de vida marcados por noites e noites comendo salgadinhos. Bandit, o guaxinim, não esvaziará mais a despensa de chips, enroladinhos de queijo e batatas fritas de sua dona.?Não estou conseguindo comer nem dormir?, desesperava-se, hoje, Deborah Pepper Klitsch, dois dias depois de problemas de saúde terem-na forçado a fazer eutanásia em seu animalzinho de estimaçãoDeborah, que vive em Palmerton, a cerca de 145 quilômetros a oeste de Nova York, nega acusações de que teria superalimentado o rotundo guaxinim, cujo peso inflou-se a quase 34 quilos, três vezes a média de sua espécie.Ele nasceu com problemas na glândula da tiróide, ela explica.Quando Bandit atingiu os 23,6 quilos, em 1999, sua circunferência garantiu-lhe um lugar no Livro Guinness de Recordes.Debora prometeu trancar a despensa, mas Bandit continuou a engordar, registrando 24,5 quilos, nos fins de 1999, depois 29,2 em 2001 e, finalmente, 31,5 quilos.Debora contou o caso a vários veículos da mídia, incluindo um programa de rádio britânico, e Bandit obteve um espaço na TV a cabo Food Network.De volta à casa, o guaxinim tornou-se um freqüentador assíduo do Ice Cream World, de onde o proprietário, Tim Pitts, podia vê-lo no banco do utilitário esporte de Deborah, segurando uma taça de sorvete e soda de framboesa entre as patas e bebendo de canudinho.?Ele era um bom freguês?, diz Pitts. Ele havia vendido um bolo para o aniversário de Bandit alguns dias antes de sua morte.Deborah acredita firmemente que Bandit sempre pensou que era um cão.Sua cachorra collie tinha criado-o como um, entre seus filhotes, cuidando e dando-lhe banhos com a língua.Bandit começou a declinar no começo da primavera, após a morte de dois filhotes de collie que cresceram com ele. E também desenvolveu um tumor em um lado.?Eu podia ver que ele estava sofrendo porque parou de comer?, diz Deborah. ?No mundo todo, ele era meu melhor amigo.?

Agencia Estado,

11 de maio de 2004 | 17h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.