Bauru tem 124 crianças contaminadas por chumbo

Mais 35 crianças de um total de 88 examinadas pelo Instituto Adolfo Lutz apresentaram contaminação do sangue por chumbo acima de 10 microgramas por decilitro, índice máximo estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Os novos resultados foram divulgados hoje pelo laboratório, elevando para 124 o número de casos de contaminação de crianças de 0 a 12 anos que vivem num raio de um quilômetro perto da unidade metalúrgica da Indústria de Acumuladores Ajax. Existem ainda cerca de 300 amostras para serem analisadas.A empresa, que existe desde 1958, foi interditada em janeiro pela Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Básico (Cetesb), que fez mais de 20 exigências para que ela se enquadre nas normas ambientais. O problema estava sendo denunciado desde 1994, mas só recentemente foi confirmada a presença de elevadas concentrações de chumbo na atmosfera e a contaminação do solo.No próximo sábado, as 50 crianças com maior concentração de chumbo no organismo começarão a ser examinadas pela equipe multidisciplinar montada em Bauru por médicos, psicólogos e fonoaudiólogos da Faculdade de Medicina de Botucatu, Hospital de Reabilitação de Lesões Craniofaciais da USP e Faculdade de Psicologia da Unesp-Bauru. Entre as vítimas já identificadas está uma criança que apresentou 90 miligramas por decilitro de sangue e recebe cuidados especiais mas, segundo os médicos, tem quadro de saúde estável.

Agencia Estado,

30 de abril de 2002 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.