Bauru tem mais 13 contaminados por chumbo

Resultados de exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz indicaram mais 13 crianças contaminadas por chumbo em Bauru, a 335 quilômetros de São Paulo. Até agora, são 89 casos de contaminação no sangue de crianças de 0 a 12 anos que vivem perto da unidade metalúrgica da Indústria de Acumuladores Ajax.A empresa, que existe desde 1958, foi interditada em janeiro pela Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Básico (Cetesb), que fez mais de 20 exigências para que ela se enquadre nas normas ambientais. O problema estava sendo denunciado desde 1994, mas só recentemente foi confirmada a presença de elevadas concentrações de chumbo na atmosfera e a contaminação do solo.Segundo a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica de Bauru, Márcia Monti, já foram feitos até agora 320 exames. "Todas as cerca de 900 crianças e gestantes que moram em um raio de 1 quilômetro de distância da empresa estão sendo chamadas." Márcia não soube informar a quantidade de gestantes contaminadas.As pessoas que apresentam contaminação acima do tolerável - 10 microgramas por decilitro de sangue, segundo a Organização Mundial de Saúde - são avaliadas pela equipe da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Botucatu. Muitas delas não apresentam efeito da contaminação, mas continuarão sendo monitoradas pela equipe.A presença de quantidades elevadas de chumbo no sangue acarreta problemas neurocomportamentais, como falta de concentração e dificuldades na fala. Outros resultados de exames serão divulgados nos próximos dias.

Agencia Estado,

29 de abril de 2002 | 21h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.