Bebês jacarés do Zôo de São Paulo estão à espera de batismo

Eles podem não ser fofinhos como os gatos, não balançam o rabinho como os cachorros, nem graça como os macacos. Mas o Zoológico de São Paulo quer mostrar aos visitantes que seus novos bebês em exposição, dois filhotes de jacarés-do-papo-amarelo, têm, sim, beleza e simpatia. Por isso, organizou um concurso em que crianças de até 12 anos podem escolher o nome dos bichinhos, nascidos em abril.Com 35 centímetros e 70 gramas, eles são pouco maiores que o vizinho lagarto preto, que mora a alguns terrários de distância, no setor de répteis. Mas o lagarto é adulto, e os jacarezinhos logo, logo vão ficar grandes demais para o terrário. Só estão lá porque precisam ser protegidos: filhotes de jacaré são um petisco para as muitas garças que habitam o zôo. Segundo o biólogo Flávio Molina, os jacarés-do-papo-amarelo não estão mais em extinção desde o ano passado.Mas seu hábitat, a mata atlântica, não é lugar seguro para os bichos. "Ainda é preciso muito cuidado." Os dois pequenos jacarés têm cinco irmãos, que só serão mostrados ao público quando estiverem maiores. "Com um ano, já podem chegar a um metro e meio", diz o auxiliar de biologia Edvaldo Santos. Ele acompanhou os quase setenta dias em que os ovos da mamãe jacaré estavam na incubadora. Há cinco jacarés adultos no zôo: um macho e quatro fêmeas. Ainda está cedo para saber se os jacarezinhos são meninos ou meninas. Mesmo assim alguns visitantes tentaram escolher nomes, ontem. "É difícil de decidir porque é um jacaré", explicou Danilo Eckhardt de Camargo, de 7 anos, que mora em São Francisco (EUA). "Eu chamaria de Dentudo, porque quando eles crescerem, vão ter dentes grandes." Para o outro, escolheu o nome de Nadador. "Acho esse bicho assustador, mas também gosto. Tinha uns que, quando os dinossauros estavam vivos, eram do tamanho de um carro", contou. Já Maria Luiza Ribeiro Buzian, de 4 anos, tomou um susto quando viu os dois bichinhos. "Tenho medo!", disse ela, e se abraçou à mãe, Marta. Logo em seguida, porém, percebeu que eles não eram tão perigosos quanto pensava. "São bonitinhos", concluiu Maria Luiza, que é de Pouso Alegre, em Minas. E até sugeriu nomes para os répteis: "Pedrinho" e "Mariana". Concurso Para participar, basta ir até o zôo e depositar o voto na urna que fica na entrada dos terrários, ou entrar na página da Fundação Parque Zoológico de São Paulo (www.zoologico.sp.gov.br). Lá, é só clicar em Concurso Vamos Batizar os Jacarés. O concurso começou ontem e já teve 150 votos. É possível participar até o dia 30 de setembro. "Só não vale dar nomes de políticos, cantores e gente famosa", advertiu o biólogo Molina. Os autores dos nomes mais criativos vão ganhar uma visita ao zôo, com a família, e um jacaré. De pelúcia, claro.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2003 | 10h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.