Arquivo OSID
Arquivo OSID

Bento XVI assina decreto que torna Irmã Dulce beata

A informação, ainda extraoficial, foi passada por meio de um telefonema, pelo postulador da causa, Dom Petrone

Eliana Lima, Especial para o Estado de S. Paulo

10 Dezembro 2010 | 15h23

A superintendente da Obras Sociais de Irmã Dulce, Maria Rita Pontes, confirmou nesta sexta-feira, 10, que o Papa Bento XVI assinou hoje o decreto que formaliza a condição de beata, de Irmã Dulce. A informação, ainda extraoficial, foi passada por meio de um telefonema, pelo postulador da causa, Dom Ricardo Petrone. A formalização do ato somente ocorre a partir da publicação do documento no Jornal do Vaticano, o que acontecer no dia seguinte, ou seja, neste sábado, 11.

 

Veja também:

link Vaticano reconhece milagre da freira baiana Irmã Dulce

 

A disposição do Vaticano de transformar o 'Anjo Bom da Bahia' - como a freira ficou conhecida -, em beata foi anunciada pelo cardeal arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, no dia 27 de outubro, mês em que o Vaticano reconheceu um milagre ocorrido por intercessão da freira. Faltava apenas a assinatura de Bento XVI no processo, que foi iniciado em janeiro de 2000, pelo próprio Dom Geraldo. Desde junho de 2001, o processo tramitava na Congregação das Causas dos Santos do Vaticano.

 

Com a assinatura, a religiosa se torna a primeira beata baiana, ficando a apenas um passo da canonização, quando será considerada santa, embora, no coração dos baianos, Irmã Dulce já tenha sido conduzida aos altares. Para ser canonizada, será necessário a comprovação de mais dois milagres, que, também deverão ser reconhecidos pelo Vaticano.

 

"Mesmo não sendo uma surpresa, pois esperávamos a assinatura do papa até o dia 15, ficamos muito felizes, esse é um dia de muita alegria para nós. Agora, podemos começar a preparar uma festa para os devotos de Irmã Dulce, como ela merece", diz Maria Rita.

 

A data prevista, que ainda depende da aprovação do Vaticano, é o dia 22 de maio de 2011, um domingo, dia dedicado a Santa Rita de Cássia, de quem a freira leva o nome. Com expectativa de um público estimado em 50 mil pessoas, a cerimônia, que deverá ser presidida por Dom Geraldo, se realizará no Parque de Exposições, em Salvador.

 

Maria Rita já tem audiência marcada com o governador Jaques Wagner na próxima semana, para discutir a ajuda financeira e de logística que espera receber do governo para as comemorações. "As obras não tem condições de custear a festa sozinha", explica. Ela pretende apelar ainda para o senador e ex-presidente José Sarney. "Como ele apoiou a eleição da presidente eleita, Dilma Rousseff, e se diz devoto de Irmã Dulce, espero que ele nos ajude e interceda por nós junto a ela", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.