Tony Gentile/Reuters
Tony Gentile/Reuters

Bento XVI completa 84 anos, preocupado com Líbia e Costa do Marfim

Papa passará o aniversário trabalhando; neste sábado ele recebe a nova embaixadora da Espanha na Santa Sé

EFE,

16 Abril 2011 | 10h35

Cidade do Vaticano, 16 abr - O papa Bento XVI completa neste sábado 84 anos, com mais atenção na beatificação no próximo dia 1º de maio de seu antecessor, João Paulo II, preparando a terceira edição de seu livro Jesus de Nazaré e preocupado com a situação na Costa do Marfim e na Líbia, onde exigiu que cessem os conflitos.

Também está preocupado com a situação dos católicos na China, onde são perseguidos e na igreja controlada pelo Governo comunista de Pequim, que continua ordenando bispos sem sua permissão, embora auspicie um diálogo "sincero e respeitoso" com as autoridades chinesas, "para superar as dificuldades e contribuir para a harmonia social", segundo disse o porta-voz Federico Lombardi.

Bento XVI passará seu aniversário no Vaticano trabalhando e recebendo, entre outras autoridades, a nova embaixadora da Espanha na Santa Sé, María Jesús Figa, que lhe apresentará as cartas credenciais.

Há dias estão chegando ao Vaticano centenas de mensagens de felicitação. O Pontífice mantém seu ritmo de trabalho e oficiará todos os ritos da Semana Santa. Assim, no Domingo de Ramos presidirá na praça de São Pedro a Procissão de Ramos e oficiará a missa solene das Palmas e da Paixão do Senhor.

Trajetória

Joseph Aloysius Ratzinger, nome de pia de Bento XVI nasceu em Marktl am Inn (Baviera, Alemanha), no dia 16 de abril de 1927.

Ordenado sacerdote em 29 de junho de 1951, foi professor de Teologia nas universidades de Bonn (1959-1963), Munster (1963-1966) e Tübingen (1966-1969) e de Dogmática e História do Dogma na de Regensburg, na qual de 1969 a 1977 foi vice-reitor. Também participou do Concílio Vaticano II.

No dia 24 de março de 1977 foi nomeado por Paulo VI arcebispo de Munique e em 27 de junho desse mesmo ano cardeal.

No final de 1981 foi nomeado por João Paulo II prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, a encarregada de manter a ortodoxia da fé católica, cargo que manteve até a morte do Sumo Pontífice em 2005.

Decano do colégio cardinalício, correspondeu a ele oficiar o funeral de João Paulo II e a missa "pro eligendo pontifice" prévia ao conclave para escolher o sucessor do papa polonês.

Em 19 de abril de 2005 foi eleito sucessor de Pedro no segundo dia de Conclave e quarto de apuração.

Bento XVI se apresentou perante os católicos como um "humilde trabalhador da vinha do Senhor", marcando como objetivos de seu Pontificado prosseguir o trabalho traçado no Concílio Vaticano II, promover a unidade dos cristãos e trabalhar pela paz no mundo.

Mais conteúdo sobre:
Papa Bento XVI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.