Bento XVI diz que Pio XII deixou ensinamentos preciosos

Papa atual diz que críticas á atuação de Pio durante o Holocausto têm atraído atenção excessiva

08 de novembro de 2008 | 17h31

O papa Bento XVI elogiou Pio XII neste sábado, classificando-o como uma grande figura histórica, e sugeriu que tem sido dada uma atenção excessiva ao que o pontífice do tempo da 2ª Guerra Mundial fez ou deixou de fazer pelas vítimas do Holocausto.   Na quinta-feira, 6, o principal assessor do papa, o secretário de Estado cardeal Tarcisio Bertone, disse que as alegações de que o papa teria sido omisso quanto aos massacres praticados pelos nazistas são "ultrajantes".   As acusações, que partem de alguns historiadores e de grupos de judeus, vêm se tornando mais incisivas à medida que autoridades católicas estudam se deve prosseguir ou não o processo para que Pio seja declarado santo.   O Vaticano insiste que o papa usou de uma diplomacia silenciosa para salvar milhares do Holocausto. Bento não mencionou especificamente as alegações contra Pio, mas os comentários, feitos para os participantes de um seminário sobre os ensinamentos do papa da 2ª Guerra, claramente referiam-se às críticas ao pontífice.   "Nos últimos anos, quando Pio XII é mencionado, a atenção concentra-se excessivamente em um único problema, tratado, na maior parte das vezes, de um modo muito unilateral", disse Bento XVI. O papa atual se referiu aos ensinamentos religiosos de seu antecessor como "um legado preciso". Ele disse ter esperança de que o processo para a possível canonização possa seguir adiante. Mas informações recentes dão conta de que Bento XVI estuda congelar o processo até que os arquivos do Vaticano sobre a guerra sejam abertos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.