Bento XVI usa barco para passear por Sydney

Com esse passeio, o papa fez sua entrada em Sydney e chegou ao píer de Barangaroo, onde jovens esperavam

Efe

17 de julho de 2008 | 15h18

O papa Bento XVI trocou nesta quinta-feira, 17, por alguns momentos, o papamóvel por uma embarcação, com a qual passeou pela baía de Sydney, de onde cumprimentou os peregrinos que estavam nas margens e outras embarcações que foram saudar o pontífice. Veja também: Papa fala sobre defesa do meio ambiente na Austrália Pais de meninas abusadas por padre pedem audiência com papa Começa em Sydney a Jornada Mundial da Juventude Foto: Reuters Com esse passeio, Bento XVI fez sua entrada em Sydney e chegou ao píer de Barangaroo, onde "dezenas de milhares" de jovens, segundo o cardeal da Austrália, George Pell, esperavam o papa para ouvir seu discurso. A embarcação do papa, na qual viajavam 500 jovens e dezenas de religiosos, entre eles vários cardeais, foi escoltado durante os 45 minutos de passeio por seis helicópteros, dezenas de policiais em jet-skis e lanchas rápidas, e centenas de católicos que viajavam em vários barcos ao redor. Bento XVI começou a travessia na proa do navio, mas depois foi para a parte fechada a fim de se proteger do clima do inverno australiano. Foto: Reuters Ao chegar a Barangaroo, os jovens receberam o papa com músicas e danças tradicionais dos aborígines da Austrália. Quando Bento XVI desceu da embarcação, os jovens manifestaram sua alegria com vivas. Após chegar ao píer, o papa voltou a seu tradicional papamóvel, com o qual percorreu uma parte do local e se deslocou até um gigantesco palco montado para a ocasião. Depois, Bento XVI pronunciou um discurso no qual falou aos jovens sobre o insaciável consumo e os incentivou a proteger o meio ambiente. Também os preveniu contra a exaltação da violência e a degradação sexual, freqüentemente apresentadas como um entretenimento pela televisão e internet. No entanto, não pediu, por enquanto, o perdão que muitos australianos esperam que o papa faça devido aos abusos sexuais cometidos por membros da Igreja Católica nesse país. Ao terminar o discurso, os jovens voltaram a aclamar Bento XVI, que, para sair do píer, utilizou novamente o papamóvel.

Tudo o que sabemos sobre:
religiãopapa bento xviaustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.