Bento XVI visita local onde Jesus foi batizado, na Jordânia

Visita a Betânia foi o último ato da estadia do papa na Jordânia, que partirá para Israel nesta segunda

Efe

10 de maio de 2009 | 14h26

O papa Bento XVI visitou neste domingo, 10, a cidade de Betânia, do outro lado do Rio Jordão. O local, atualmente em território jordaniano, é onde João Batista realizava suas atividades e onde Jesus teria sido batizado.

 

Após percorrer a zona em um veículo elétrico junto com o rei Abdullah II e a rainha Raina, o papa disse que a contemplação do lugar traz à memória o batismo de Cristo, e pediu aos cristãos para promover o diálogo e a compreensão na sociedade civil, "especialmente quando reivindicarem seus legítimos direitos".

 

"No Oriente Médio, marcado por trágicos sofrimentos, anos de violência e temas não resolvidos, os cristãos são chamados a oferecer sua contribuição de reconciliação e paz com o perdão e a generosidade", afirmou o papa.

 

A zona arqueológica de Betânia, que continua soterrada, fica a 50 quilômetros de Amã, na parte do vale conhecida como Wadi Kharrar, a 350 metros abaixo do nível do Mediterrâneo, a poucos quilômetros onde o Jordão se alarga e desemboca no Mar Morto.

 

O papa visitou a zona arqueológica e abençoou as primeiras pedras de duas novas igrejas que serão construídas, uma latina e outra greco-melquita.

 

Bento XVI disse que a primeira pedra de uma igreja é o símbolo de Cristo e que a memória do batismo de Jesus está vivamente presente nesse lugar.

 

"Jesus ficou em fila junto com os pecadores e aceitou o batismo de penitência de João como um sinal profético de sua paixão, morte e ressurreição para o perdão dos pecados", lembrou o papa.

 

A visita ao lugar do batismo de Jesus foi o último ato da estadia do papa na Jordânia, que amanhã partirá para Israel e os territórios palestinos, segunda etapa de sua peregrinação aos lugares santos.

 

O porta-voz vaticano, Federico Lombardi, qualificou a etapa jordaniana como "muito positiva".

 

Lombardi ressaltou que o papa foi recebido de forma calorosa pela família real, pelo Governo e pelo povo, realizou sua peregrinação com "serenidade" e ficaram "superadas" as incompreensões com o Islã, após o discurso do pontífice em Regensburg (Alemanha).

 

Bento XVI partirá nesta segunda, às 10h30 local (4h30 de Brasília), de Amã com destino a Tel Aviv, aonde chegará meia hora depois e será recebido pelo presidente de Israel, Shimon Peres, e pelo primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

Tudo o que sabemos sobre:
PapaBento XVIbatismoJesusJordânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.