Mohamed Azakir/Reuters
Mohamed Azakir/Reuters

Bento XVI visitará Oriente Médio à sombra da guerra na Síria

Papa pediu que cristãos sejam 'construtores da paz e agentes da reconciliação' no Oriente Médio

Reuters

12 Setembro 2012 | 17h57

VATICANO - O papa Bento XVI realizará no próximo fim de semana uma visita religiosamente delicada e potencialmente perigosa ao Líbano, onde fará um apelo pela paz e a reconciliação no Oriente Médio, enquanto uma guerra civil é travada na vizinha Síria.

 

"Peço a todos os cristãos no Oriente Médio, sejam eles há muito estabelecidos ou recém-chegados, que sejam construtores da paz e agentes da reconciliação", disse ele durante a audiência geral desta quarta-feira, 11,  no Vaticano.

Essa será a 24ª viagem internacional do pontífice de 85 anos, e a quarta ao Oriente Médio. Ele passará três dias em Beirute, de sexta-feira a domingo, pregando a unidade entre os cristãos, e a paz entre cristãos e muçulmanos.

Ele celebrará duas missas campais e irá se reunir com representantes políticos e religiosos das muitas comunidades cristãs e muçulmanas do Líbano. Na quarta-feira, Bento XVI disse que essa rica diversidade "só poderá continuar se (o Oriente Médio) viver em permanente paz e reconciliação".

Beirute está a apenas 50 quilômetros da fronteira com a Síria, e será o mais perto que o papa terá chegado de uma zona de guerra desde sua eleição, em 2005. O próprio Líbano viveu uma guerra civil sectária entre 1975 e 90.

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.