Bienal do Livro abre espaço para temas ambientais

Entre os 1.700 lançamentos de publicações previstos para a 17a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, nos próximos 10 dias, estão diversos títulos ambientais, incluindo as obras mais recentes dos responsáveis pela proteção e conservação do próprio meio ambiente: diretores e técnicos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).Já neste fim de semana, nos dias 27 e 28, o especialista em Economia Florestal e autor de dezenas de planos de manejo, Richard W. Bruce, autografa ?As Florestas do Amazonas ? espécies, sítios, estoques e produtividade?, que apresenta a floresta através dos comentários sobre 50 inventários florestais, realizados entre 1989 e 1998, nos rios Madeiras, Juruá, Purus, médio Solimôes e na região de Itacoatiara/Uatumã/Balbina. O livro indica padrões de espécies florestais, potencial de comercialização e diferenças das florestas de várzea e terra firme.Também no sábado, 27, a engenheira florestal Christiane Horowitz lança ?Trilha da Capivara - Parque Nacional de Brasília?, um diagnóstico dos usos e impactos ambientais desta trilha interpretativa, localizada num parque com um dos mais altos índices de visitação do País. E, no domingo, 28, o assunto é a sustentabilidade do artesanato de palha de buriti, discutido na cartilha ?Projeto Urucuia - Veredas e Artesanato?, patrocinado pelo Conselho do Programa Comunidade Solidária presidido pela primeira dama, Ruth Cardoso, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente. A cartilha foi elaborada coletivamente por alunos e professores de Urucuia, MG, com ilustrações dos artesãos locais.Na terça feira, 30, é o lançamento do livro ?Modernização Negociada - Expansão viária e riscos ambientais no Brasil?, escrito pelos pesquisadores do Cebrap Sérgio Costa, Ângela Alonso e Sérgio Tomioka, onde se analisa a sustentabilidade do modelo econômico brasileiro. Na quinta, 2 de maio, o tema é educação ambiental, com o livro ?Pensando e Praticando a Educação Ambiental na Gestão do Meio Ambiente? de vários autores. E também vai se falar de direito ambiental, com o lançamento de ?Direito do Meio Ambiente e Participação Popular?, de Roberto Armando Ramos de Aguiar. O livro estabelece as relações entre os direitos ambiental, do consumidor, do trabalhador e de qualidade de vida, indicando formas de aumentar a conscientização para a população fazer valer tais direitos. Na sexta, 3 de maio, com a presença do ministro do Meio Ambiente, José Carlos Carvalho, e do presidente interino do Ibama, Rômulo Mello, serão destacados três livros ?de peso?: ?Mamíferos Aquáticos do Brasil - Plano de Ação?, de Jesuína Maria da Rocha, bióloga da diretoria de Fauna e Recursos Pesqueiros do Ibama, sobre o estado de conservação e as ameaças que pairam sobre as cinquënta espécies de golfinhos, focas, peixes-bois etc das águas brasileiras; ?Catálogo de Árvores do Brasil?, coordenado por José Arlete A. Camargos, que vem acompanhado de CD-Rom; e ?Cavernas - Patrimônio Espeleológico Nacional?, do geógrafo Ricardo José Calembo Marra, chefe do Centro Nacional de Estudo, Proteção e Manejo de Cavernas (Cecav/Ibama).Este último traz 194 páginas ilustradas sobre as 3 mil cavernas brasileiras já catalogadas e seu entorno. Marra escreve sobre a necessidade de ordenar a visitação em cavernas, de forma a reduzir os impactos sobre estes ecossistemas tão especiais quanto frágeis e que ainda abrigam sítios arqueológicos e paleontológicos pouco explorados.Além dos títulos do Ibama, vários outros títulos sobre direito ambiental também têm lançamentos previstos para a Bienal. Entre eles está ?A Tutela Ambiental do Ar Atmosférico?, de autoria da advogada Ana Paula Cruz, editado pelo Instituto Brasileiro de Advocacia Pública (Editora Ibap-Adcoas), previsto para o sábado, 27 de abril.Serviço: Todas as publicações do Ibama também podem ser adquiridas através do email editora@ibama.gov.br ou do telefone (61) 3161065.A cartilha do Projeto Urucuia pode ser solicitada através dos telefones (11) 30825263 e 95316201.A Bienal do Livro acontece no Centro de Exposições Imigrantes, localizado na Rodorvia dos Imigrantes, km 1,5, próximo da Secretaria da Agricultura e do Jardim Botânico. Instruções para chegar lá e outras informações podem ser obtidas no site da Bienal (http://www.bienaldolivro.com.br)

Agencia Estado,

26 de abril de 2002 | 10h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.