Biodiesel será testado em caminhões nas ruas do Rio

O biodiesel, combustível produzido a partir de óleo vegetal e menos agressivo ao meio ambiente, será testado pela primeira vez no mês que vem nas ruas do Rio, em caminhões do município. O produto, que reduz em 90% as emissões de gases do efeito estufa e em 98% a de enxofre, prejudicial à saúde, está sendo obtido a partir de óleo usado nas frituras da rede de lanchonetes Mc Donald?s.A franquia firmou há um ano uma parceria com a Coordenadoria de Programas de Pós-Graduação em Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro e, desde então, fornece 25 mil litros de óleo mensalmente. A fase de testes químicos foi concluída com êxito e agora dois caminhões da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) vão utilizá-lo experimentalmente.Segundo Luciano Basto, coordenador do projeto da Coppe, além de emitir menos gases agressivos ao meio ambiente, o combustível tem também metade das partículas emitidas pela queima de combustíveis fósseis. "A principal vantagem é que não requer alteração dos veículos. O cliente nunca vai ficar refém do combustível, porque poderá misturar biodiesel com diesel em qualquer proporção", acrescentou o pesquisador.Ele disse que o biodiesel produzido pela Coppe atende a todas as normas mais rígidas em vigor na Europa e nos Estados Unidos. "Teríamos condições técnicas para colocá-lo no mercado europeu." Ele destacou também que, com o biodiesel, o Brasil vai reduzir as importações do petróleo.O País consome anualmente 40 bilhões de litros de óleo diesel, importa 4 bilhões de diesel já refinado e refina mais 8 milhões, informou Basto.O governo do Rio quer incentivar a produção de biodiesel a partir de óleo vegetal. O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Fernando Peregrino, disse que 12 municípios do interior do Rio vão cultivar mamona para extrair o óleo vegetal. Segundo ele, será destinada uma área total de 12 milhões de hectares. O que for obtido será utilizado em carros das prefeituras.A primeira cidade comprometida com o programa é Paraíba do Sul. Toda a região é própria para esse plantio, disse Peregrino. O secretário disse ainda que o governo está preparando uma petição para solicitar a homologação do biodiesel na Agência Nacional do Petróleo (ANP). Para ser aprovado, é necessário que seja testado com sucesso em 50 veículos, que precisam rodar 160 mil quilômetros."O Rio está dando um exemplo para todo o Brasil. Estado e municípios estão mobilizados. Esse programa já deveria ter sido implantado há muito tempo, só tem vantagens", defendeu o secretário. O óleo que dá origem ao biodiesel pode ser extraído, além da mamona, de milho, soja, dendê, algodão, girassol, babaçu, buriti e castanha-do-pará, entre outros.

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2003 | 22h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.