Biodiversidade de Itacaré atrai ecoturistas

A Área de Proteção Ambiental Itacaré-Serra Grande possui um rico patrimônio natural, formado por remanescentes de Mata Atlântica e manguezais, recheados de rios, riachos, cascatas, cachoeiras e praias belíssimas. Tudo isso, cercado pelo Parque Estadual do Conduru, uma exuberante floresta nativa totalmente preservada. Dentro da APA, está a Reserva Caititu, um fazenda de 550 hectares, onde um estudo da Ceplac e do Jardim Botânico de Nova York encontrou, em 1993, 456 espécies de árvores em apenas um hectare. Essa monumental variedade deu à Mata Atlântica o status de segunda floresta em diversidade de árvores e impulsionou as iniciativas para preservá-la.Apostando no crescimento de um turismo interessado não só em praias, mas em conhecer essa riqueza biológica, o Iesb, com apoio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), está realizando também um diagnóstico do potencial ecoturístico nas terras dos pequenos agricultores. Atualmente, duas trilhas já estão abertas à visitação: o Refúgio dos Anjos, onde o banho de cachoeira é complementado com um legítimo lanche da roça, e a Trilha Janela da Gindiba, onde a grande atração é o buraco natural na árvore centenária. Paulo Liebert/AESeu Beca reverencia a floresta antes de entrar na trilhaOrgulhoso no traje safári, seu Beca reverencia a floresta antes de adentrar com os visitantes nos 15 hectares de mata que lhe restaram, dos 25 que recebeu do Incra há dez anos. ?Não sabia que a floresta era tão importante?, diz.

Agencia Estado,

20 de abril de 2002 | 17h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.