Biólogo recebe prêmio dado a defensores de 'dimensão espiritual'

Francisco J. Ayala combate o criacionismo, mas defende respeito pela religião

estadao.com.br

05 Maio 2010 | 16h47

O biólogo Francisco J. Ayala, nascido na Espanha e naturalizado americano, recebeu nesta quarta-feira, 5, o Prêmio Templeton, criado pelo milionário Sir John Templeton para pessoas que se destaquem em "afirmar a dimensão espiritual da vida". O prêmio, de 1 milhão de libras, equivale a R$ 2,6 milhões.

 

Críticos da premiação, como o também biólogo Richard Dawkins, referem-se ao Templeton como um incentivo dado a cientistas "para que digam algo simpático sobre a religião".

 

O Templeton já agraciou figuras como Madre Teresa de Calcutá e o pregador americano Billy Graham, além de físicos como Freeman Dyson, Paul Davies e John Barrow.

 

O Templeton sempre tem valor monetário maior que o Nobel, porque seu criador acreditava que descobertas que "iluminam questões espirituais" podem trazer mais benefícios quantificáveis que outros empreendimentos humanos.

 

Ayala é geneticista, autor de importantes trabalhos sobre os organismos causadores de doenças como a malária e o mal de Chagas.

 

 Ele defende que não existe contradição entre ciência e religião, afirmando que os dois campos são "janelas diferentes" para olhar o mundo, mas atuou no combate ao ensino do criacionismo nas aulas de ciências nos Estados Unidos.

Mais conteúdo sobre:
ayala biologia prêmio templeton

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.