Bird e WWF anunciam plano contra desmatamento

O Banco Mundial (Bird) e o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) anunciaram nesta quarta-feira um programa para reduzir em 10% o ritmo de desmatamento mundial no ano 2010, que atualmente é de 14 milhões de hectares.Segundo as duas instituições, o programa "apoiará o estabelecimento de novas áreas de florestas protegidas, tais como parques nacionais, uma administração mais eficaz das áreas protegidas, e uma administração melhor das florestas fora das áreas protegidas".As duas organizações fizeram seu anúncio durante a quinta reunião do Fórum das Nações Unidas sobre Florestas, e pediram a atenção da comunidade internacional para a perda anual, sobretudo em regiões tropicais, de superfícies de floresta equivalentes ao território da Grécia."Florestas que são valiosas ecológica e economicamente, em lugares como as florestas boreais do distante oriente da Rússia, as terras baixas de Sumatra e as selvas tropicais da Amazônia e o Congo desaparecem rapidamente devido à poda madeireira ilegal e à agricultura", disse Claude Martin, diretor-geral do WWF.Ian Johnson, vice-presidente do BM para Desenvolvimento Sustentável, disse que os países em desenvolvimento perdem a cada ano cerca de US$ 15 bilhões em arrecadações devido às madeireiras ilegais."Este é dinheiro que os governos nos países pobres poderiam usar para serviços sociais e assistência da saúde", acrescentou. "Estas práticas devem acabar.O Banco Mundial e o WWF estão comprometidos a trabalhar com todas as partes envolvidas para estabelecer um regulamento eficaz e igualitário das práticas florestais", disse Johnson.O Banco Mundial e o WWF formaram em 1998 uma Aliança para a Conservação e Uso Sustentável que apresentou propostas e financiou programas para iniciativas tais como a que no Brasil estabeleceu 8 milhões de hectares de novas áreas florestais protegidas.   estatísticas sobre florestas

Agencia Estado,

25 de maio de 2005 | 16h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.